Que condições de emprego procuram os jovens? Teletrabalho já é quase requisito
SAIBA TUDO
Marta Grilo, recrutadora na Noesis, de 31 anos, partilha com o Expresso que, quando tem uma entrevista com jovens, as perguntas que mais surgem são sobre a estabilidade da empresa, progressão de carreiras, os salários e a flexibilidade e cumprimento de horário.
"Ou ainda estão a estudar ou querem fazer um mestrado no futuro, ou simplesmente não querem sentir-se 'escravos', o que, infelizmente, era a realidade e a mentalidade dos nossos pais".


Agora também é quase indispensável a pergunta da possibilidade de teletrabalho, “é quase um requisito da maior parte dos candidatos […] o trabalho 100% presencial já quase não é uma realidade no nosso país”.


Trabalhar só quatro dias
A semana de quatro dias está a florescer no mercado de trabalho português, impulsionada pelo projeto-piloto do Governo, onde diferentes empresas são candidatas e que será posto em prática já no verão deste ano. No caso de Carlota Tavares, foi assim desde o início. Tem 24 anos e trabalha há um ano na ARX Portugal Arquitetos, que já tinha como dado adquirido este método de trabalho.


Os funcionários trabalham quatro dias por semana, mas cumprem 38h de trabalho. “Consigo que a minha vida não seja só trabalho, torna tudo mais fácil. Tenho mais tempo para sair de Lisboa, viajar, descansar e tratar de assuntos como ir aos correios, ao banco ou limpar a casa, tudo à sexta-feira", refere.
Carlota partilhou com o Expresso que se mudar de empresa no futuro, a possibilidade de trabalhar quatro dias por semana “vai ter muito peso na decisão”.
LEIA MAIS ARTIGOS
TEXTO: TERESA AMARO RIBEIRO
FOTOGRAFIA: BRUNO EMMANUELLE/UNSPLASH; LISA MCKELVIE
<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->