Quatro possíveis motivos pelos quais não é contratado
CLIQUE
A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou recentemente uma resolução que enquadra o burnout (esgotamento profissional) como uma doença de âmbito laboral, descrevendo-a como “uma síndrome resultante de stresse crónico no trabalho que não foi corretamente gerido”
Os especialistas em gestão de carreira da plataforma Cereerealism partilham algumas estratégias para minimizar os riscos de esgotamento laboral
1.
O burnout também surge quando tudo corre bem
Há a ideia de que o esgotamento só acontece em momentos difíceis e de grande pressão para resultados. Não, pode acontecer em momentos de sucesso laboral, mas onde se cometem excessos
2.
Aprenda a dizer “não”
Saber dizer “não” na altura certa não é sinal de falta de profissionalismo ou compromisso com a empresa, é um ato de responsabilidade. A melhor forma de evitar um esgotamento profissional é reconhecer os seus limites e saber até onde pode ir, sem prejuízo para a sua saúde mental
3.
Delegar é uma virtude
Não há profissionais insubstituíveis. Em vez de acumular pilhas de trabalho, tente perceber se aquela tarefa tem mesmo de ser desempenhada por si ou se pode passar para outra pessoa. Isto passa, naturalmente, por desenvolver a capacidade de delegar e dizer “não”
4.
Empresas também são responsáveis
Para que o desgaste profissional não provoque danos irreparáveis é fundamental que defina momentos de total desconexão com o trabalho e que saiba pedir ajuda, se tal se revelar necessário. Mas é importante ter consciência de que as empresas também são responsáveis pela correta gestão do stresse dos seus profissionais e devem definir ações para minimizar riscos
LEIA MAIS ARTIGOS
TEXTO: EXPRESSO
FOTOGRAFIAS: GETTY
<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->