SER

Duas escolas de gestão portuguesas entram no programa de sustentabilidade das Nações Unidas

20 janeiro 2023 17:24

sopa images

A Iscte Business School e a Nova SBE foram escolhidas para entrar no PRME Champions 2023, um programa das Nações Unidas para ajudar as escolas de gestão a formar líderes que percebam, não só de economia, mas também de sustentabilidade. O Expresso SER foi falar com Maria João Cortinhal, diretora da Iscte Business School, e Luís Veiga Martins, chief sustainability officer da Nova SBE

20 janeiro 2023 17:24

São 47 universidades, de 24 países, que este ano vão integrar o PRME Champions, um programa das Nações Unidas através do qual várias instituições de ensino se comprometem a trabalhar colaborativamente para promover a liderança responsável, partilhar conhecimento e respeitar as regras do Principles for Responsible Management Education (PRME). Com mais de 800 subscritores em todo o mundo, o PRME tornou-se na maior organização que relaciona as Nações Unidas e as instituições de ensino superior da área da gestão.

As origens do PRME remontam a 2007 e foi criado por seis deans, presidentes e representantes de business schools e instituições académicas de topo e, basicamente, pretende que os alunos que são formados nas escolas de gestão não olhem só para as métricas financeiras e económicas, mas também sejam sensíveis aos temas de sustentabilidade e responsabilidade social. “Através de workshops e formações, o PRME tem como objetivo promover a sustentabilidade nas escolas de gestão e capacitar futuros líderes com as competências necessárias para equilibrar metas económicas e de sustentabilidade, nomeadamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas”, explicou Maria João Cortinhal, diretora da Iscte Business School.

Em 2023, duas escolas portuguesas vão fazer parte deste programa que este ano tem a particularidade de as escolas estarem envolvidas no “The Impactful Five (i5)”, um projeto de partilha de conhecimento “que visa proporcionar às escolas uma perspectiva de futuro com pedagogias e práticas inovadoras que inspirem criatividade e autenticidade”. Esta iniciativa, explica Maria João Cortinhal, foi criada em parceria com a The LEGO Foundation, “e incentiva, através de workshops, uma aprendizagem lúdica e o desenvolvimento de soft-skills em contexto empresarial”.

O que vão fazer as escolas neste programa?

“Podermos trabalhar de forma colaborativa para desenvolver e promover atividades e programas com vista à implementação em larga escala dos princípios da sustentabilidade tendo a linguagem universal dos ODS como farol. Desta forma estamos a formar os futuros líderes do desenvolvimento sustentável”. As palavras são do professor Luís Veiga Martins, chief sustainability officer da Nova SBE.

Maria João Cortinhal refere que, ao tornar-se membro do grupo do Champions 2023 do UN PRME, a Iscte Business School “reforça o seu posicionamento nesta rede internacional a que aderiu como signatária em 2011, numa altura em que pouco se falava nestes temas. A visão da direção da Escola já nessa altura foi reveladora do pioneirismo da Iscte Business School, tendo sido a primeira escola de gestão portuguesa a aderir ao PRME”. O objetivo, reforça, é proporcionar aos alunos “uma educação e investigação próximas da prática, e de alta qualidade, que promovam uma gestão responsável”.

Além da ajuda a formar líderes e gestores de empresas responsáveis, a diretora do Iscte Business School revela que as escolas comprometem-se a trabalhar “em colaboração para atingir níveis mais elevados de desempenho na transformação da educação de gestão em cinco áreas-chave: ensino, investigação, enquadramentos educativos, parcerias baseadas na sustentabilidade, e liderança de pensamento”.

Olhando para trás, o responsável pela sustentabilidade da Nova SBE recorda que no último ciclo, que terminou em 2022, foram desenvolvidos no PRME “programas transformadores com vista à integração dos ODS nos programas académicos”, bem como “investigação e parcerias, com o objetivo de produzir um plano abrangente para a integração dos ODS nas business schools”, tendo este manual sido disponibilizado a toda a comunidade PRME.

Sustentabilidade nos currículos da Nova e do Iscte

E o que é que estas duas escolas de gestão portuguesas têm andado a fazer para que os alunos cheguem ao mercado de trabalho com uma maior consciência ambiental e de responsabilidade social?

Na Nova, o chief sustainability officer diz que estão a integrar “conteúdos de sustentabilidade nos programas”, e estão a procurar também que os alunos participem nos living labs que desenvolvem no Campus. A nível de oferta de ensino, Luís Veiga Martins revela que “nos mestrados, mais de 150 cadeiras apresentaram explicitamente conteúdos de sustentabilidade nos seus cursos, e endereçaram os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável”. E dá exemplos de algumas cadeiras: “Finanças Sustentáveis, Empreendorismo Social, Operações Sustentáveis, Economia Circular, Diversidade e Inclusão”. Ao nível da formação de executivos, o responsável destaca a Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, Finanças Sustentáveis, Paradigm Shift, o Agronegócio e os Desafios do Desenvolvimento Sustentável.

A Iscte Business School refere, por seu lado, que tem vindo a integrar as temáticas de ética, responsabilidade e sustentabilidade nos seus programas, incentivando também os alunos a participar em competições internacionais como, por exemplo, o European Ethics Bowl, “em que a equipa de estudantes da Iscte Business School obteve o primeiro prémio em 2022”.

Maria João Cortinhal diz que na área de gestão, a escola possui unidades curriculares específicas em vários mestrados. Por exemplo, “Ética, Responsabilidade e Sustentabilidade Empresarial” no Mestrado em Gestão de Empresas; “Gestão Internacional, Ética e Responsabilidade Social” no Mestrado em Gestão Internacional, ao mesmo tempo que incorpora as temáticas da ética, sustentabilidade e responsabilidade em várias unidades curriculares nos vários programas de 1º (licenciaturas), 2º (mestrados) e 3º ciclos (doutoramento)”.

Tal como a Nova SBE, o Iscte também tem ofertas na área da educação executiva e a diretora da escola dá o exemplo da cadeira de “Ética e Sustentabilidade Empresarial” no Executive MBA, e lembra também a existência na escola de programas, quer de curta duração, - “como o Boost em Gestão da Sustentabilidade oferecido pelo Iscte Executive Education”, - e programas de média duração, “como o MBA in Sustainable Management, acreditado pela AMBA – Association of MBAs”. A oferta de programas na área da sustentabilidade noutras escolas do Iscte inclui, por exemplo, “o Mestrado em Estudos do Ambiente e da Sustentabilidade e o Mestrado em Governação do Mar e Sustentabilidade”.