Tecnologia

É um acidente de carro? Não, é só uma montanha-russa. Confusos, iPhone14 estão a ligar para serviços de emergência

É um acidente de carro? Não, é só uma montanha-russa. Confusos, iPhone14 estão a ligar para serviços de emergência
picture alliance

O modelo mais recente da Apple vem com uma nova funcionalidade, que está a confundir os próprios iPhone14. Um sensor que deteta colisões está a ligar automaticamente para os serviços de emergência, mesmo quando as pessoas estão só a andar de montanha-russa num parque de diversões

Desde que o telemóvel mais recente da Apple foi posto à venda, um centro de comunicações em Ohio recebeu várias chamadas de emergência feitas automaticamente pelos iPhone 14, a partir dos bolsos das pessoas. Porquê? Os telemóveis achavam que os seus donos estavam a ter um acidente de carro, quando estavam só a andar de montanha russa, no parque de diversões Kings Island.

O último modelo do iPhone tem uma nova funcionalidade: um sensor que deteta sinais e vibrações semelhantes às de um acidente de viação, e liga automaticamente para o serviço de emergência — nos Estados Unidos o 911 , caso o dono do telemóvel não cancele a ligação nos 20 segundos seguintes.

A situação cómica está a ser relatada pelo “Wall Street Journal”. Os telemóveis confundiram os fortes solavancos de uma atribulada viagem de montanha russa e decidiram pedir ajuda. Foram feitas pelo menos seis chamadas a partir do parque de diversões, em Ohio, desde que o modelo começou a ser comercializado, em setembro.

Na chamada automática é dito: “O/a proprietário/a deste iPhone sofreu um grave acidente de carro e não responde ao seu telefone”, segundo o jornal norte-americano. Também são indicadas as coordenadas geográficas do local onde ocorreu a “emergência”, bem como o raio de busca estimado. A mensagem é repetida após cinco segundos.

Ao “Wall Street Journal”, um porta-voz da Apple disse que a funcionalidade dos iPhone14 que deteta colisões será melhorada ao longo do tempo. Ainda assim, já está melhorada, minimizando falsos pedidos de socorro. Além dos 20 segundos de espera para que a pessoa cancele o pedido de ajuda, o telemóvel dispara um alarme. No entanto, o som pode não ser ouvido em ambientes barulhentos, como um parque de diversões.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas