Saúde

Base Naval de Lisboa com áreas isoladas devido à presença da bactéria legionella

20 janeiro 2023 18:03

tiago petinga/ lusa

Após a deteção da presença da bactéria, "foi de imediato" interditada a utilização da água quente sanitária e determinado o isolamento do espaço para a limpeza e desinfeção dos sistemas afetados

20 janeiro 2023 18:03

A bactéria da `legionella´ foi detetada em novembro na Base Naval de Lisboa, obrigando ao encerramento de algumas instalações para desinfeção das caldeiras afetadas, que ainda decorre, sem registo de qualquer pessoa infetada, disse à Lusa a Marinha.

Questionado pela agência Lusa, que teve conhecimento da situação, o porta-voz da Marinha disse hoje que a bactéria foi detetada já no final de novembro em algumas caldeiras e chuveiros no decorrer de inspeções de rotina aos sistemas de aquecimento de água na Base Naval de Lisboa.

Segundo o ramo, não foi "identificada qualquer pessoa contaminada com `legionella´".

Após a deteção da presença da bactéria, "foi de imediato" interditada a utilização da água quente sanitária e determinado o isolamento do espaço para a limpeza e desinfeção dos sistemas afetados.

De acordo com a Marinha, continuam a ser feitas análises e os "resultados continuam a indicar a presença da bactéria", situação que "está a ser acompanhada pelas entidades de saúde competentes".

"A Marinha prossegue com todas as diligências no sentido de eliminar a bactéria e salvaguardar a saúde dos seus militares, militarizados e civis", referiu.