Coronavírus

Covid-19: mais de 30 mil novos casos (um novo máximo da pandemia) e 18 mortes em Portugal. R(t) e incidência continuam a subir

31 dezembro 2021 14:30

O boletim da DGS desta sexta-feira assinala 1024 internamentos (menos 10 do que na véspera), 145 dos quais estão em unidades de cuidados intensivos (mais 1). Incidência já ultrapassa as 1000 infeções por 100 mil habitantes

31 dezembro 2021 14:30

O boletim desta sexta-feira da Direção-Geral da Saúde sobre a evolução da pandemia dá conta de mais 30.829 infetados, 18 mortes e 10.523 recuperados em Portugal nas últimas 24 horas. Há agora 178.712 casos ativos em todo o país, mais 20.288 do que na véspera.

O ano de 2021 termina com o maior número de casos registados desde o início da pandemia, superando os 28.659 reportados esta quinta-feira, novo máximo até então. O número de infetados encaminha-se, assim, para a previsão de Marta Temido, que admitiu que Portugal pode superar a barreira dos 37 mil novos casos de covid-19 por dia na primeira semana de janeiro.

Os 30.829 novos casos que constam no boletim da DGS estão bastante acima da média mensal de dezembro, que se fixou nos 7052 contágios diários.

Apesar do galopante aumento de casos, que pelo quarto dia consecutivo atingem valores recorde, verificou-se esta sexta-feira um alívio no número de internamentos: há agora menos 10 doentes em enfermaria, o que faz descer o total para 1024 internados nos hospitais do país, dos quais 145 estão em unidades de cuidados intensivos, onde há mais uma cama ocupada.

Quanto às mortes, foram reportadas mais duas do que na véspera (16) e o valor fica acima da média de dezembro (16,5). Entre os 18 óbitos divulgados pela DGS, 16 foram declarados em pessoas com 70 ou mais anos.

A matriz de risco assinala uma subida no R(t), ou índice de transmissibilidade, para 1,35 na globalidade do território nacional e 1,36 no continente. A incidência também cresce e vai já nos 1182,7 casos por 100 mil habitantes no território nacional e 1188,4 no continente.

A anterior atualização, na quarta-feira, dava conta de um R(t) de 1,29 na globalidade do território nacional e de 1,30 no continente, e uma incidência de 923,4 casos por 100 mil habitantes no território nacional e de 927,6 no continente.

Os números gerais da pandemia de covid-19 em Portugal, desde que foi conhecido o primeiro caso em março de 2020, ficam assim: 1.389.646 infeções, 18.955 óbitos e 1.191.979 recuperados. Há 169.559 contactos em vigilância, mais 9594 do que na véspera.

Só o Centro e o Alentejo não batem máximo de novos casos

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser, há 18 dias, a região mais afetada: as autoridades de saúde locais identificaram 14.903 casos de covid-19, o que representa 48,34% do total diário nacional. Há ainda a registar sete mortes nesta zona do país nas últimas 24 horas.

A segunda região com mais infetados é o Norte, onde foram confirmados 9435 novos contágios, o que constitui 30,6% dos casos divulgados no boletim da DGS, que assinala também três óbitos.

O Centro tem mais 3340 infetados e três mortes, seguido pelo Algarve com 978 casos e dois óbitos, enquanto a Madeira regista 914 novos contágios e também duas fatalidades, acima do Alentejo, com 911 infetados e uma vítima mortal. Sem qualquer morte a assinalar, há nos Açores mais 348 casos de covid-19.

Entre todas as regiões, apenas no Centro e no Alentejo o valor de hoje não é um máximo histórico - e em ambos os casos por uma margem de poucas dezenas.

Os números absolutos de casos e mortes por região ficam assim:

Relativamente a casos confirmados por faixa etária, a fotografia do país é a seguinte:

Quanto a mortes confirmadas por covid-19 por faixa etária, o retrato do país é o seguinte: