Coronavírus

Covid-19. Associação da Economia Digital lança novas iniciativas para digitalizar serviços e comércio local

17 junho 2020 13:03

agrobacter

Oferta de vouchers para registo de um domínio .pt durante um ano e formações e linhas de apoio gratuitas aos empresários são algumas das medidas. Objetivo é apoiar a economia nacional em tempo de pandemia

17 junho 2020 13:03

A ACEPI – Associação da Economia Digital anunciou esta terça-feira no ministério da Economia um conjunto de medidas para relançar o comércio e os serviços, apoiando a economia nacional em período de pandemia de covid-19. O programa ComércioDigital.pt, em parceria com a Confederação do Comércio e dos Serviços de Portugal (CCP), tem como objetivo promover a digitalização de mais de 50 mil empresas do sector em Portugal.

As novas iniciativas da ACEPI incluem a oferta de vouchers a micro, pequenas e médias empresas portuguesas nas áreas do comércio e serviços para registo de um domínio .pt durante um ano – além de acesso a caixas de email e ferramentas de construçao e alojamentos de sites.

Foi ainda lançada uma campanha especial de adesão ao selo Confio.pt, um certificado atribuído pela ACEPI, pela Deco e pela associação DNS.pt aos sites que cumprem as melhores práticas do mercado digital, que funciona como uma garantia para os consumidores na aquisição de produtos e serviços online. Esta campanha isenta o pagamento da taxa de submissão da candidatura e da concessão anual do selo até 31 de dezembro, simplificando ainda o processo de atribuição do selo.

As medidas passam ainda pela criação de uma linha nacional telefónica gratuita de apoio aos comerciantes que precisem de ajuda com a utilização de ferramentas digitais nos seus negócios (800 100 236), bem como o lançamento de um novo site do programa e pelo reforço nas ações de comunicação e divulgação do programa nos media.

Além disso, serão disponibilizados webinars semanais de esclarecimento sobre os principais temas, tendências e boas práticas para negócios na internet e a Academia Comércio Digital, uma plataforma online com conteúdos formativos e ferramentas de capacitação de empresários do comércio e serviços na digitalização dos seus negócios, de forma a chegarem a novos clientes e expandirem-se para novos mercados.

“Com a pandemia de covid-19, muitos pequenos comerciantes perceberam que têm de ter uma presença online e a ACEPI quer apoiá-los nesta jornada. A forma de o fazermos foi desenvolvendo um conjunto de iniciativas para a fase pós-Covid, no âmbito do Programa do Comércio Digital, que já tínhamos em curso”, explicou o presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca. “Deste modo, iremos apoiar o comércio local a vencer os novos desafios lançados, colocando à disposição dos pequenos empresários locais do setor do comércio e serviços um relevante conjunto de ferramentas digitais, de acesso gratuito, que lhes permitirão iniciar as suas jornadas de transformação digital de forma prática, simples, rápida e eficiente, relançando os seus negócios no contexto do comércio online.”

A estas iniciativas “somar-se-ão, em momento oportuno, a apresentação e o lançamento das medidas preconizadas no Programa de Estabilização Económica e Social para fomentar a transição digital do comércio”, especialmente ao nível da promoção do comércio eletrónico em cadeias logísticas integradas, declarou o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

Já o ministro da Economia realçou, durante a sessão de lançamento do programa, a importância do digital durante a pandemia, para “assegurar o acesso a bens e serviços fundamentais”. Referindo que foi esta digitalização que permitiu a muitos operadores económicos e empresas do sector do comércio manterem a sua atividade, Pedro Siza Vieira recorda que esta também permitiu acelerar “a logística associada ao comércio digital e a dinamização e o acesso dos comerciantes a estes mercados virtuais. Esta aceleração e esta consciencialização foram passos importantes, mas precisam de ser acompanhados e, num Ministério que é, simultaneamente, da Economia e da Transição Digital, o apoio a estas iniciativas é absolutamente essencial”.