Sociedade

Ucranianos queixam-se à PGR de tradutora de russo do MP. Chama-se Olga e questiona: “Levantaram o meu nome porquê?”

23 janeiro 2023 12:07

Vítor Matos

Vítor Matos

Jornalista

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Nuno Botelho

Nuno Botelho

Fotojornalista

Associação dos Ucranianos em Portugal enviou carta a Lucília Gago

Um caso diz respeito a tradutora com mais de 20 anos de trabalho com o MP que terá feito publicações sobre processos em curso

23 janeiro 2023 12:07

Vítor Matos

Vítor Matos

Jornalista

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Nuno Botelho

Nuno Botelho

Fotojornalista

Pavlo Sadokha, presidente da Associação dos Ucranianos em Portugal (AUP), enviou esta semana uma carta à procuradora-geral da República, Lucília Gago, a manifestar uma “grande preocupação relativamente ao modo como, nos tribunais, têm vindo a ser nomeados tradutores de língua ucraniana e feitas as traduções no que concerne ao seu conteúdo, quando estão envolvidos cidadãos ucranianos”. Em causa está, pelo menos, a contratação de uma tradutora para um processo com sete ucranianos acusados do crime de “discriminação e incitamento ao ódio e à violência”, por terem insultado uma imigrante russa dona de uma loja, que invadiram em Braga, e que vendia artigos de alegada propaganda russófila.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.