Sociedade

“Já houve sentenças de assassinos que foram atenuadas por razões genéticas. Não concordo com isso: a genética não desculpabiliza o crime”

4 dezembro 2022 20:53

Jorge Sequeiros teve um papel pioneiro nos testes que revelam informação sobre doenças neurológicas e deixa a direção do Centro de Genética Preditiva e Preventiva ao cabo de 23 anos. Aos 70, o investigador do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto e professor jubilado olha para a carreira e reitera que está contra uma carta genética produzida à nascença para cada cidadão. Mesmo que salve vidas

4 dezembro 2022 20:53

Já deve haver uns quantos testes genéticos que acabaram em divórcio…
Nunca fiz esses testes, mas uma das coisas que um médico desta área sabe é que qualquer exame pode revelar a paternidade. Estamos preparados, sabemos quem devemos chamar em primeiro, e o que se deve ou não falar…

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.