Sociedade

IPMA coloca três distritos do sul do país sob aviso amarelo até segunda-feira

4 dezembro 2022 17:41

kim ludbrook/epa

Faro é o distrito onde se esperam condições meteorológicas mais adversas, com aviso amarelo para precipitação e trovoada ativo entre as 18:00 de hoje e as 15:00 de segunda-feira

4 dezembro 2022 17:41

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou os distritos de Faro, Beja e Setúbal sob aviso amarelo até segunda-feira por previsões de precipitação, vento e trovoada, adiantou o organismo em comunicado.

Faro é o distrito onde se esperam condições meteorológicas mais adversas, com aviso amarelo para precipitação e trovoada ativo entre as 18:00 de hoje e as 15:00 de segunda-feira, e aviso amarelo para vento entre as 09:00 e as 18:00 de segunda-feira.

Esperam-se nestes intervalos "períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de rajadas fortes", trovoadas "frequentes e dispersas" e vento "por vezes forte do quadrante sul, com rajadas até 70 km/h".

No distrito de Setúbal vigora um aviso amarelo para precipitação entre as 03:00 e as 15:00 de segunda-feira, prevendo-se "períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoadas e rajadas fortes".

Em Beja vigora também um aviso amarelo por precipitação para o mesmo período, prevendo-se condições meteorológicas semelhantes às do distrito de Setúbal.

As condições meteorológicas levaram a Proteção Civil a emitir hoje um aviso à população, válido até segunda-feira, por previsões de precipitação e vento no sul do país, alertando para a possibilidade de inundações em zonas urbanas, cheias e deslizamentos de terras.

Face às previsões, a Proteção Civil avisa que podem acontecer inundações em zonas urbanas, por acumulação de água da chuva quando houver obstrução dos sistemas de escoamento, cheias por transbordo de cursos de água, deslizamentos de terras por "instabilidade de vertentes" que podem ser potenciados pelos efeitos de incêndios florestais, arrastamento para as estradas de objetos soltos, desprendimento de estruturas móveis e formação de lençóis de água.

A Proteção Civil recomenda a desobstrução de sistemas de escoamento, fixar estruturas soltas, ter particular atenção à circulação em zonas com árvores, pela possibilidade de queda e quebra de ramos, especial cuidado junto a zonas ribeirinhas, adotar uma condução defensiva e não atravessar zonas inundadas.