Sociedade

Exército castiga três instrutores do 138.º curso de Comandos

9 novembro 2022 19:03

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Condicionamento antes da Instrução de Tiro no Curso de Comandos, Venda Seca

tiago miranda

Militares concluíram que as hospitalizações dos instruendos “tiveram origem no cansaço acumulado”, “agravado pela falta de preparação física”. Comunicado nada refere sobre possível uso de substâncias dopantes por parte de recrutas

9 novembro 2022 19:03

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O Exército decidiu castigar três instrutores do 138.º curso de Comandos, que levou à hospitalização de alguns jovens formandos, tendo um dele sido submetido a um transplante.

As conclusões do processo de averiguações determinaram a “instauração de um processo disciplinar a três militares” da equipa de instrução do 138.º curso de Comandos, “dada a existência de indícios de infração disciplinar, por eventual violação dos deveres de obediência, zelo e responsabilidade, previstos no Regulamento de Disciplina Militar”, refere o Estado-Maior do Exército.

Em relação aos fatores que levaram aos acontecimentos ocorridos em setembro, “resulta a convicção que tiveram origem no cansaço acumulado pelos formandos, agravado pela falta de preparação física”. Ou seja, nada é referido sobre possível uso de esteroides, como adiantou o Expresso.

Além disso, foi apurado que o apoio médico-sanitário foi “realizado adequadamente, de forma oportuna e conforme às situações enfrentadas”, acrescentam os militares.

O Exército realça ainda que relativamente à inspeção técnica extraordinária, concluiu-se existir a necessidade de analisar e rever alguns dos normativos relativos ao curso de Comandos. Nesse sentido, o General Chefe do Estado-Maior do Exército, Nunes Fonseca, determinou a constituição de um grupo de trabalho para propor uma revisão do referencial do curso, “de modo a que a formação adote um carácter mais evolutivo, com uma fase preparatória e adaptativa, uma atualização de normativos e procedimentos, e uma definição das ações de controlo médico, físico e psicológico a executar, antes, durante e após a frequência do curso de Comandos, necessárias para garantir a continuada aptidão dos formandos para responder às solicitações do curso”.

Assim, o reinício do 138.º curso de Comandos irá ocorrer “com brevidade”, após a aprovação das propostas deste grupo de trabalho.

Entretanto, o Exército já forneceu ao Ministério Público, que investiga o caso, toda a documentação sobre a processo de averiguações e inspeção técnica extraordinária.