Sociedade

Portugueses andam pouco a pé. Governo aprova estratégia para inverter o caminho

23 setembro 2022 10:43

horacio villalobos/getty images

Até 2030, o Governo quer que 35% das deslocações diárias para o trabalho ou a escola sejam feitas a pé. Vai ser criado grupo para executar esta estratégia e a da mobilidade ciclável. Documento segue para consulta pública

23 setembro 2022 10:43

A Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa Pedonal 2030 (ENMAP) foi aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros e tem como objetivo criar condições para que, em 2030, 35% das deslocações diárias dos portugueses para o trabalho ou para a escola sejam feitas a pé. O documento segue agora para consulta pública, segundo o Ministério do Ambiente.

A quota de mobilidade pedonal em Portugal desceu de 25% em 2000 para 16% em 2011. Por isso, a Estratégia “visa alterar padrões de mobilidade, tornar o espaço pedonal acessível a todos e promover estilos de vida ativos e saudáveis”, indica esta sexta-feira, em comunicado, o ministério do Ambiente, explicando que o documento complementa a Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa Ciclável.

“Juntar as componentes pedonal e ciclável cria um quadro robusto para promover a mobilidade ativa de forma transversal”, afirma, no comunicado, Jorge Delgado, secretário de Estado da Mobilidade. Com a aprovação da Estratégia, será criado um “grupo de projeto para a implementação" de ambas as estratégias, anunciou o Governo.

Em declarações à Lusa, o responsável referiu que a Estratégia deverá ser definitivamente aprovada até ao fim do ano. E explicou que o documento integra medidas de diversas áreas, incluindo educação, impostos e investimentos em infraestruturas “para melhorar as cidades e as suas características para que se tornem mais ´pedonáveis´”.

Jorge Delgado considerou que na generalidade das cidades o automóvel ganhou um "protagonismo excessivo", ao qual as cidades se foram adaptando, pelo que é essa tendência que é preciso inverter. "Só vamos conseguir tirar os carros das cidades na medida em que conseguirmos oferecer uma alternativa eficiente", que passa por um transporte público eficiente.