Sociedade

Governador do Mississípi declara estado de emergência devido às inundações

30 agosto 2022 21:22

As fortes chuvas nos últimos dias provocaram inundações e pioraram uma situação já complicada numa estação de tratamento de água de Jackson

30 agosto 2022 21:22

O governador do Mississípi declarou esta terça-feira estado de emergência após as inundações que atingem a região terem danificado infraestruturas já envelhecidas, levando dezenas de milhares de moradores de Jackson, capital do Estado norte-americano, a ficarem sem água.

“Declarei estado de emergência e ativei a Guarda Nacional do Mississípi para responder à crise hídrica em andamento em Jackson”, afirmou hoje o governador Tate Reeves na rede social Twitter. As autoridades terão assim de fornecer manualmente água “para até 180 mil pessoas por tempo indeterminado”, acrescentou o governador republicano.

As fortes chuvas nos últimos dias provocaram inundações e pioraram uma situação já complicada numa estação de tratamento de água de Jackson, referiram hoje as autoridades da cidade no Twitter. Como resultado, “a pressão da água é fraca, por vezes nula, para muitos residentes de Jackson”, escreveram as autoridades municipais, acrescentando que “essa falta de água provavelmente continuará nos próximos dias”.

"Não beba a água" da torneira, escreveu o governador, "muitas vezes é água não tratada retirada do tanque e [diretamente] enviada pelos canos". Sem água, as escolas da cidade colocaram os seus alunos em ensino à distância.

Jackson está a lidar com falta de funcionários, inúmeras falhas nas bombas e baixos níveis de água nos reservatórios numa das principais estações de tratamento, de acordo com o Departamento de Saúde do Mississípi. “Até que [as instalações] sejam reparadas”, Jackson não terá água canalizada e “não será capaz de produzir água suficiente para apagar incêndios” ou “atender a outras necessidades essenciais”, acrescentou Reeves.

A Casa Branca disse que as autoridades federais estão prontas para ajudar. Há anos que Jackson vive uma crise hídrica, obrigando mesmo jovens estudantes a tomar um autocarro de uma escola para outra todos os dias para ir à casa de banho, por falta de pressão suficiente.

A autoridade de controlo de água do Mississípi declarou que a rede municipal tinha "deficiências significativas" já em 2016. De acordo com uma avaliação federal de 2020, a cidade está a perder de 40 a 50% da sua água, e três hospitais locais tiveram de furar os seus próprios poços.

O Mississípi é o Estado norte-americano com a maior taxa de pobreza.