Sociedade

Incêndios: Mais de 900 operacionais envolvidos no combate aos fogos pelas 9h00

21 agosto 2022 9:43

Portugal entrou hoje, às 00:00, em situação de alerta devido ao “agravamento do risco de incêndio rural" e ao aumento das temperaturas, após semanas com fogos que, só na serra da Estrela, destruiu mais de 28 mil hectares.

21 agosto 2022 9:43

Mais de 900 operacionais combatiam às 09:00 deste domingo 35 incêndios em Portugal Continental, dos quais apenas oito se encontram ativos, com dois fogos em fase de resolução e 25 em conclusão, segundo a Proteção Civil.

De acordo com a informação do site da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), estava mobilizado a esta hora um total de 946 operacionais, 277 viaturas terrestres e cinco meios aéreos.

Contudo, a maioria (418 operacionais) do dispositivo estava concentrada nas duas ocorrências em resolução, nomeadamente o fogo que deflagrou na sexta-feira no concelho de Ourém, que reunia mais de 300 operacionais e cerca de uma centena de veículos.

Entre os incêndios considerados ativos, o fogo que lavra desde a madrugada de sábado na freguesia de Canelas, concelho de Penafiel (distrito do Porto), era o que mobilizava mais meios, com 86 operacionais, apoiados por 31 viaturas. Este incêndio chegou a ser dado como em resolução durante a tarde de sábado, mas voltou a estar ativo.

Quanto ao incêndio que deflagrou no sábado na Costa da Caparica, concelho de Almada, e que obrigou ao corte do acesso ao parque da praia de São João, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal disse à Lusa que foi dado como dominado às 00:49.

Os trabalhos de rescaldo no local mobilizam atualmente 69 operacionais e 22 veículos. Segundo adiantou à Lusa o presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica, José Ricardo, "até ao momento o acesso à praia está vedado a pessoas e automóveis, devendo o mesmo ser feito pelas praias laterais".

Portugal entrou hoje, às 00:00, em situação de alerta devido ao “agravamento do risco de incêndio rural" e ao aumento das temperaturas, após semanas com fogos que, só na serra da Estrela, destruiu mais de 28 mil hectares.

A situação de alerta, anunciada na sexta-feira, mas formalizada no sábado, por decisão dos ministérios da Administração Interna, Defesa Nacional, do Trabalho, da Saúde, do Ambiente e da Agricultura, prevê medidas extraordinárias e será reavaliada pelo Governo na segunda-feira.

De hoje até terça-feira, é proibido circular ou permanecer nos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, fazer queimadas ou trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos que tenham a ver com combate a incêndios.

É igualmente proibido o uso de fogo de artifício ou outros artefactos pirotécnicos, estando suspensas as autorizações que tenham sido entretanto emitidas, de acordo com a informação do Ministério da Administração Interna.