Sociedade

Durante 56 dias, os moradores do prédio ficaram reféns de traficantes. O crime ficou sem castigo

24 julho 2022 9:30

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

A porta blindada era igual à de uma prisão: tinha ferrolhos em cima, em baixo e de lado, e um postigo que era aberto quando o cliente aparecia para comprar droga

nuno fox

Suspeitos instalaram porta blindada num prédio para se protegerem da polícia. Moradores pediam autorização para entrar ou sair

24 julho 2022 9:30

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

Durante quase dois meses, entre 6 de agosto e 30 de setembro de 2021, um grupo de traficantes de droga instalou uma porta blindada, que só eles podiam abrir, num prédio em Lisboa e sequestrou os habitantes, que, para poderem entrar ou sair de casa, tinham de pedir licença e muitas vezes esperar que uma qualquer transação ou operação terminasse. Isto aconteceu num bairro perto das Olaias; e, apesar de a polícia ter conseguido desmantelar a quadrilha e desmontar a porta, este crime vai ficar sem castigo.

O Ministério Público acusou 12 homens que terão trabalhado na “banca do Granja”, como era conhecido este ponto de venda de cocaína e heroína, que chegou a traficar 50% da droga consumida nesta região específica de Lisboa. Vão ser julgados pelo crime de tráfico de droga, mas ninguém foi acusado de sequestro ou de algum crime semelhante, apesar de a acusação da procuradora Tânia Albuquerque identificar quem montou a porta e quem decidiu instalá-la e de reconhecer que ela “estava sempre fechada” e “só abria quando o vigilante dava indicações ao vendedor para deixar entrar um morador”. Porquê?