Sociedade

Porque arde Portugal? Uma pergunta com várias respostas e uma palavra: desordenamento

16 julho 2022 19:25

Carla Tomás

Carla Tomás

texto

Jornalista

Rui Duarte Silva

Rui Duarte Silva

fotos

Fotojornalista

Governo e Presidente consideram que se avançou muito na comunicação, decisão e combate aos incêndios

Uma semana de ignições de norte a sul levantou a questão de sempre. O Expresso procurou a solução junto de vários especialistas que contribuíram para uma análise em que se aponta para algumas soluções

16 julho 2022 19:25

Carla Tomás

Carla Tomás

texto

Jornalista

Rui Duarte Silva

Rui Duarte Silva

fotos

Fotojornalista

Porque arde tanto Portugal? É a questão que muitos colocam. “Arde porque a meteorologia está a complicar-se cada vez mais com as alterações climáticas, porque há falta de adaptação da floresta que temos a estas condições e porque as pessoas conti­nuam a ter comportamentos negligentes que devem ter tolerância zero”, sintetiza o especialista Francisco Castro Rego, que presidiu ao Observatório Técnico Independente, órgão nomeado pela Assembleia da República para avaliar os incêndios em território nacional.

Com metade do país ocupado por floresta e matos desordenados e perante a conjugação explosiva de elevadas temperaturas e uma seca severa, o cocktail estava montado para pintar o país de vermelho e manter o alerta máximo. Passou a ser imperioso controlar as ignições negligentes, que são responsáveis por dois terços dos fogos.