Sociedade

Cartões pré-pagos são cada vez mais utilizados em atividades criminosas e terroristas

14 julho 2022 9:25

getty images

Comissão Europeia diz que poderá vir instaurar uma ação no Tribunal de Justiça da União Europeia se Portugal não transpuser a diretiva antibranqueamento

14 julho 2022 9:25

Os cartões pré-pagos têm sido cada vez mais frequentes no branqueamento dos lucros milionários das máfias e no financiamento de atividades criminosas e terroristas. De acordo com o “Jornal de Notícias", este é um fenómeno global que se está a disseminar em Portugal e, por esse motivo, a Comissão Europeia (CE) fez um ultimato a Portugal.

O último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) refere esta atividade em Portugal, mas a CE acusou o país, a 19 de maio, de não transpor a diretiva antibranqueamento. Bruxelas ameaça Portugal dizendo que “sem uma resposta satisfatória de Portugal no prazo de dois meses, a CE poderá instaurar uma ação no Tribunal de Justiça da União Europeia”.

Apesar dos alertas - e do RASI exigir aos bancos maior rigor na regulamentação deste tipo de transações -, Portugal ainda não transpôs, de forma integral, para a lei nacional a diretiva europeia que impõe regras à compra e utilização deste tipo de cartões.