Sociedade

'Dama da droga' Nelma Kodama vai recorrer do pedido de extradição para o Brasil

8 maio 2022 19:41

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

Nelma Kodama foi presa em Lisboa esta terça-feira no Hotel Ritz, no âmbito da Operação Descobrimento

d.r.

Nelma Kodama foi detida no Hotel Ritz, em Lisboa, no passado dia 19 de abril, no âmbito da Operação Descobrimento. Empresária brasileira já era investigada em Portugal desde 2020 por suspeitas de negócios ilegais de cocaína

8 maio 2022 19:41

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

O Tribunal da Relação de Lisboa decidiu formalmente o pedido de extradição de Nelma Kodama para o Brasil, mas a defesa da empresária brasileira detida em Portugal vai contestar a decisão. A 'rainha da coca' está presa na cadeia de Tires desde 21 de abril por suspeitas de gerir a rede de tráfico de droga internacional que encheu com 600 quilos de cocaína o jato no qual viajou o empresário português João Loureiro.

Em comunicado, a defesa de Nelma Kodama afirma que o pedido de extradição chegou no penúltimo dia antes de terminar o prazo (terminava a 7 de maio, altura em que faz 18 dias desde que foi detida) e que vai recorrer da decisão, no prazo de 10 dias, para o Supremo Tribunal de Justiça de Portugal. A empresária é representada em Portugal pelo advogado Eduardo Mauricio.

No entender da defesa, há "ilegalidades que demonstram a necessidade do arquivamento do processo de extradição". "O processo de extradição não segue as normas específicas devendo ser nulo, por afronta ao princípio da especialidade, e deve então ser restabelecida a liberdade de Nelma Kodama até ao julgamento final do feito", lê-se na nota pública enviada às redações.

Nelma Kodama, que está detida em Tires desde 21 de abril, terá ajudado o maior grupo criminoso do Brasil a transportar droga para Portugal. A defesa nega qualquer envolvimento de Nelma com a rede de tráfico internacional de cocaína que esteve na base dos 600 quilos de cocaína encontrados no jato que transportava João Loureiro.