Sociedade

Inspetores do SEF dizem estar “mobilizados” para receber os refugiados ucranianos em Portugal

25 fevereiro 2022 14:00

Ataque militar da Rússia à Ucrânia é condenado pelos inspetores SEF “em todas as suas dimensões”

25 fevereiro 2022 14:00

Os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) garantem que se vão “mobilizar” para acolher “da melhor forma” os refugiados ucranianos que possam chegar a Portugal nos próximos dias.

Esta é a reação do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF (SCIF/SEF) ao anúncio feito pelo primeiro-ministro António Costa de que Portugal irá facilitar a entrada a ucranianos que tenham sido obrigados pela invasão da Rússia a sair do seu país.

“O Sindicato da Carreira de Investigação do SEF reconhece a responsabilidade especial que tem nesta circunstância específica”, afirma Acácio Pereira, presidente do SCIF/SEF. “Faremos literalmente tudo o que está ao nosso alcance para que as pessoas e famílias ucranianas que se dirijam a Portugal – sujeitas a uma pressão desumana e a um risco pessoal tremendo, com o qual nos solidarizamos – possam entrar no nosso país sentindo-se imediatamente bem acolhidas”.

O ataque militar da Rússia à Ucrânia é condenado pelos inspetores SEF “em todas as suas dimensões”, colocando Portugal perante a “responsabilidade de dar uma resposta imediata à altura das graves circunstâncias que o povo ucraniano está a viver”.

“A decisão, anunciada pelo Governo, de facilitar a entrada de refugiados ucranianos no nosso país só pode ter uma resposta da parte do SEF: solidariedade, humanismo e generosidade”, afirma Acácio Pereira. “Vivem em Portugal quase 29 mil ucranianos, uma comunidade bem integrada e que valoriza o nosso país.”

Entre outras comunidades mais pequenas, estão registados 8,7 mil ucranianos residentes em Lisboa, 1,6 mil no Porto e 5,6 mil em Faro. “Este é o momento de agir sem hesitações, com sentido cívico e solidariedade total”, afirmam os inspetores.