Sociedade

Residência para filhos de funcionários públicos pode não ser ilegal mas levanta outras questões. “Há uma enorme carência de estruturas”

29 abril 2021 23:30

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

nuno fox

A decisão do Governo de disponibilizar uma residência universitária só para filhos de funcionários públicos merece as críticas de várias associações que representam os estudantes do ensino superior. Falam em “discriminação” e “elitização”, e ameaçam recorrer à justiça. Do ponto de vista legal, a medida não parece levantar dúvidas, mas isso não é tudo. “Há uma enorme carência destas estruturas e os filhos de funcionários públicos não têm mais necessidade do que os outros”. Governo diz que o edifício é propriedade dos Serviços Sociais da Administração Pública, a cujos beneficiários a residência se destina

29 abril 2021 23:30

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

“Discriminação”, “elitização”. São várias as palavras, nenhuma delas lisonjeira, usadas por associações que representam os estudantes do ensino superior para se referirem ao anúncio, feito na quinta-feira por Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, sobre a construção de uma residência universitária em Lisboa destinada a filhos de trabalhadores da administração pública.