Sociedade

Covid-19. Trânsito superior ao do primeiro confinamento por causa das escolas abertas

15 janeiro 2021 10:52

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotojornalista

Trânsito ao princípio da manhã desta sexta-feira numa das entradas de Lisboa, junto às Amoreiras

tiago miranda

As primeiras horas do confinamento mostram que o movimento rodoviário é inferior ao dos dias anteriores, mas superior ao de março e abril do ano passado. Fenómeno que se explica pelo movimento para as escolas, que nessa altura estavam fechadas

15 janeiro 2021 10:52

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotojornalista

Os dados das autoridades são ainda preliminares mas há já revelam uma tendência. De acordo com o capitão David Ferreira, um dos porta vozes da GNR, as primeiras horas do novo confinamento por causa da pandemia mostram que o movimento do trânsito é menor do que o das 24 horas anteriores. Ainda assim, não é tão reduzido comparativamente com o de março e abril do ano passado, altura do primeiro recolhimento domiciliário obrigatório. “Há movimento de pais, alunos e professores para as escolas. Em março e abril as escolas não estavam abertas, o que faz a diferença.”

Ao Expresso, o intendente Nuno Carocha, porta voz da PSP, revela que, a nível nacional, nas cidades do continente e nos arquipélagos dos Açores e da Madeira, a PSP registou menor movimento de pessoas e veículos. “Ainda assim, uma quebra menor quando comparado com o início do anterior confinamento. Estamos em crer que parte substancial do movimento registado durante a manhã se relacionou com a deslocação dos alunos para as escola,s pelo que estamos em crer que rapidamente registaremos o progressivo esvaziamento das ruas.”

As operações de controlo do trânsito da GNR e da PSP tiveram início à meia-noite desta sexta-feira, com o objetivo de sensibilizar os condutores a ficarem em casa e seguirem as regras de recolhimento ditadas pelo Governo. Estes são ainda momentos de transição em que todos estão adaptar-se a este momento de exceção. “A PSP manter-se-á muito presente nas ruas, em apoio à população e verificação do cumprimento das regras, privilegiando sempre que possível a intervenção inicial pedagógica e preventiva.”

Numa das entradas de Lisboa, aquela onde a A5 desemboca na zona das Amoreiras, o Expresso verificou que o trânsito se mostrava semelhante ao de um sábado.

Uma reportagem da SIC na plataforma rodoviária de Agualva-Cacém, na linha de Sintra, mostrava que o movimento de passageiros não era contudo muito diferente do habitual.