Sociedade

Caso Marega: ex-governantes criticam regulamento, Liga promete revisão

Laurentino Dias e Alexandre Mestre atacam as normas da Liga. Proença revela que em breve serão “afinadas”

22 fevereiro 2020 9:45

David Dinis

David Dinis

Director-adjunto

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Pedro Candeias

Pedro Candeias

Editor de Sociedade

O Regulamento Disciplinar das competições organizadas pela Liga Portuguesa de Futebol tem 100 páginas, 300 artigos, uma decisão transitória e outros 18 artigos anexos sobre o Regime de Incompatibilidades e Registo de Interesses; a última ratificação do Regulamento aconteceu em 2016 e a propósito de “comportamentos discriminatórios em função da raça, religião ou ideologia” — onde se enquadra o caso Marega — diz o seguinte: “Os clubes que promovam, consintam ou tolerem a exibição de faixas, o cântico de slogans racistas [...] serão punidos com a sanção de realização de jogos à porta fechada a fixar entre o mínimo de um e o máximo de três jogos e [...] multa de montante a fixar entre o mínimo de 200 UC e máximo de 1000 UC.” Por outras palavras, para um castigo exemplar no âmbito dos incidentes em Guimarães, é necessário provar-se o dolo do Vitória.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.