Sociedade

O estranho caso das turmas onde quase todos têm 19 valores (ou mais) a Educação Física

26 abril 2019 17:23

Externato Ribadouro, no Porto

rui duarte silva

A situação aconteceu no Externato Ribadouro no final do segundo período e diz respeito a nove turmas do colégio. A classificação a esta disciplina voltou a contar para a média final do curso e acesso ao ensino superior

26 abril 2019 17:23

Num total de 248 alunos do 10º ano do Externato Ribadouro, no Porto, 128 tiveram 20 valores a Educação Física no final do segundo período e outros 108 conseguiram um 19. Ou seja, no total de nove turmas, 95% dos estudantes obtiveram nota máxima ou quase. A situação é descrita no blogue "Com Regras", dedicado a temas de Educação e cuja autoria pertence a Alexandre Henriques, ele próprio professor desta disciplina

O Expresso contactou o Externato Ribadouro, mas a diretora pedagógica não quis prestar esclarecimentos por telefone.

Já Alexandre Henriques não tem dúvidas em considerar estranho um número tão elevado de classificações máximas. “Em 17 anos de ensino já atribuí alguns 20 valores, mas nunca no final de um período. Classificações de 18 são poucas e de 19 muito raras, conforme se pode constatar nas pautas por essas escolas fora”, comenta no seu blogue. E deixa a ironia: “Julgo que os clubes e as seleções nacionais deviam solicitar à direção a presença dos seus olheiros, pois muito talento estará presente naquele ginásio.”

O professor explica ainda por que razão é invulgar esta concentração de classificações máximas. “A disciplina tem temáticas com variações muito grandes, como a ginástica, o futebol, o atletismo, etc… Pela experiência que tenho não é nada fácil encontrar alunos muito bons a tudo e que, por acaso, também são muito bons nas outras disciplinas”.

Também o presidente do Conselho Nacional das Associações Profissionais de Educação Física e Desporto, Avelino Azevedo, considera o caso "bastante invulgar". "Julgo que esta é claramente uma situação para ser investigada pela Inspeção-Geral da Educação", reforça.

O post de Alexandre Henriques é acompanhado por fotografias de nove pautas afixadas agora no final do segundo período, de turmas de ciências e tecnologias e de ciências socioeconómicas. No entanto, existem bastantes mais turmas de 10º no Externato Ribadouro e cujas notas não foram divulgadas, pelo que não é possível saber se a situação é generalizada a todo o colégio.

Inflação de notas

O Ministério da Educação tem analisado a tendência de inflação de notas pelas escolas. Através do indicador designado por “alinhamento”, é medida a diferença entre as notas internas (dadas pela escola com base em vários parâmetros) e as notas de exame. Mas como é natural que haja discrepância entre essas notas, este indicador destaca os estabelecimentos de ensino que registaram os maiores desvios acima ou abaixo de uma diferença média considerada 'natural' entre as notas internas e as de exame, e isso torna estes dados mais consistentes.

É com base neste indicador que se percebe que o Externato Ribadouro, no Porto, se repete como uma das escolas que mais tem inflacionado as notas dos alunos. Entre 2012/13 e 2016/17, o colégio surge sempre entre os estabelecimentos de ensino mais benevolentes. A ele juntam-se outras 15 escolas, como o Colégio de Nossa Senhora do Rosário e o Colégio Luso-Francês, ambos no Porto.

A Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) chegou a abrir processos de inquérito para investigar esta questão e já deu recomendações a várias escolas.