Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Portugueses desaconselhados a viajar para montanhas de Marrocos

AFP/Getty Images

Há duas semanas foram assassinadas duas turistas escandinavas numa zona isolada do Alto Atlas. Marrocos é um dos três destinos favoritos dos portugueses para a passagem de ano

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O homicídio recente de duas turistas escandinavas numa área montanhosa no sul de Marrocos está a preocupar Governo e autoridades, uma vez que aquele país é um dos três destinos favoritos dos portugueses para celebrar a passagem do ano 2018/19. Os outros dois são o Brasil e Cabo Verde.

“Desaconselha-se, enfaticamente, a prática de “trekking” e de escaladas nas regiões montanhosas marroquinas fora das trilhas pré-definidas e sem a companhia de um guia oficial”, alerta o Portal das Comunidades Portuguesas. Além disso, Marrocos está em alerta máximo de ataque terrorista desde 2014, lembra o site do Governo.

As informações veículadas pelo Portal não têm natureza vinculativa e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. No entanto, fonte oficial da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas revelou ao Expresso que em relação a Marrocos mantém-se o alerta que tem data de 19 de dezembro.

Em Marrocos, as autoridades locais já detiveram 19 pessoas no âmbito da investigação ao homicídio da dinamarquesa Louisa Vesterager Jespersen, de 24 anos, e da norueguesa Maren Ueland, de 28 anos.

Os corpos das duas mulheres foram encontrados no interior de uma tenda numa zona isolada no Alto Atlas. Tinham marcas de violência no pescoço.

Logo após o homicídio, as autoridades marroquinas garantiram que seguiam a pista terrorista. Mas esta semana, um porta-voz da polícia avançou que os suspeitos terão atacado de forma aleatória as duas mulheres e que as mortes não terão motivações terroristas.