Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

INEM. Marcelo aprova designação de juiz para dirigir inquérito único

Tiago Petinga / Lusa

“Os portugueses precisam de ter confiança na sua própria segurança, o que implica ter confiança nas instituições, e esse inquérito penso que, quanto mais depressa puder chegar a conclusões, melhor”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República considerou nesta quarta-feira muito positiva a designação de um magistrado judicial para realizar um inquérito global à queda do helicóptero do INEM no sábado, em Valongo, e disse esperar que as conclusões cheguem depressa.

"Os portugueses precisam de ter confiança na sua própria segurança, o que implica ter confiança nas instituições, e esse inquérito penso que, quanto mais depressa puder chegar a conclusões, melhor", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa hoje aos jornalistas à entrada para um jantar de Natal da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal.

O chefe de Estado afirmou que vê "com agrado" e como "muito positiva" a proposta do primeiro-ministro, António Costa, para a designação de um magistrado para realizar um inquérito a tudo o que ocorreu com o helicóptero do INEM, considerando que António Costa foi "ao encontro" daquilo que ele próprio havia dito.

"Diria que é preciso esclarecer tudo. Em vez de ser instituição a instituição, é importante que haja um apuramento global e definitivo e um inquérito conduzido por um magistrado judicial parece-me uma boa solução", disse aos jornalistas.

António Costa revelou hoje ter pedido ao Conselho Superior da Magistratura que designe um magistrado judicial para elaborar um relatório sobre a atividade das diversas entidades envolvidas no socorro ao helicóptero do INEM que se despenhou no sábado em Valongo, provocando a morte dos quatro ocupantes.

"São várias entidades e não faz sentido haver relatórios parcelares, o que faz sentido é que haja um relatório único e, portanto, solicitei ao Conselho Superior da Magistratura a designação de um magistrado judicial para realizar um único inquérito que permita esclarecer tudo: se houve falhas de alguma das entidades e que falhas é que houve", declarou António Costa à imprensa.

O relatório preliminar da Proteção Civil sobre a queda do helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) em Valongo, divulgado na terça-feira, apontou falhas à NAV Portugal, ao 112 e ao Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto.