Livros

Livros: as recordações de Joe Brainard e Georges Perec, por Pedro Mexia

15 abril 2023 13:01

A morte de Marilyn Monroe (aqui noticiada num billboard do edifício do “New York Times”, em 1962) é uma das “lembranças” de Joe Brainard

bettman/getty images

Joe Brainard e Georges Perec escreveram nos anos 70 dois livros sob o mesmo mote: recuperar recordações. Uma nova edição junta-os

15 abril 2023 13:01

O funcionamento da memória tem sido tão atentamente estudado por neurocientistas como por escritores (Proust, que se inspirou muito em Bergson, ou Beckett, que se inspirou um pouco em Proust). E todos, a seu modo, acentuaram a dimensão subjectiva da memória, ligada à experiência subjectiva do tempo.

Sobre esta matéria, um brevíssimo livro de Georges Perec, “Je me souviens” (1978), é decerto mais conhecido do que “I Remember” (1975), de Joe Brainard, embora este seja anterior àquele e Perec tenha feito questão de reconhecer que lhe devia “o título, a forma e, em certa medida, o espírito”. A ideia de publicar ambos os textos no mesmo volume faz justiça ao americano obscuro, da geração dos poetas e artistas da Escola de Nova Iorque, sem desmerecer o francês do grupo experimental OuLiPo, hoje tão canónico que integra a Pléiade.