Exposições

Exposições: Nuno Cera e o choque de Sines

22 janeiro 2023 23:45

Celso Martins

“Luzes Distantes”, de Nuno Cera. No MAAT, em Lisboa, até 13 de março

O encontro da indústria com a paisagem; a chegada de novas populações e a criação de uma cidade dormitório exibiam fricções próprias. Um choque tecnológico, cultural e ambiental que sempre interessou o artista Nuno Cera, que ali cresceu. Uma exposição para ver no MAAT, até 13 de março

22 janeiro 2023 23:45

Celso Martins

Lançado no início dos anos 70, o complexo industrial de Sines produziu um conjunto de marcas indeléveis no litoral alentejano. O encontro da indústria com a paisagem; a chegada de novas populações e a criação de uma cidade dormitório carregavam otimismo mas também exibiam fricções próprias dos transplantes, um choque tecnológico, cultural e ambiental que sempre interessou o artista Nuno Cera, que ali cresceu.

O momento forte da exposição é sem dúvida o vídeo em dois monitores “Luzes distantes”. Em sete momentos, viajamos pelas principais unidades industriais locais, ao mesmo tempo que nos mostram aspetos da paisagem entre cabines de controlo, pipelines, contentores e torres de fogo. Cera joga com o duplo ecrã para revelar o movimento interno disto tudo, mas também para projetar o olhar rural e as suas vagas fronteiras sobre o complexo. Ao mesmo tempo, uma voz narra um texto de Joana Rafael sobre as relações da produção energética com o ambiente e vários conflitos bélicos, num claro ensejo de expandir a reflexão sobre o ‘caso’ Sines a uma escala global. Mas a grande força do filme é a forma como deixa claro o modo como o elemento industrial revolve e transfigura tudo à sua volta. Com o filme mostram-se várias fotografias e objetos. O dispositivo encontrado para a exibição das imagens é, por vezes, pouco consonante com a sensibilidade documental que as anima. Os seus emolduramentos negros, os plintos e os candeeiros que Cera encontrou em Viseu parecem aqui deslocados. O mesmo se pode dizer das fotomontagens, como a da grande lona que alude a Magritte, derivações poéticas que estetizam a exposição e retiram força ao poderoso mosaico em movimento descontínuo que o vídeo constitui. / Celso Martins