Exposições

Exposições: Teresa Sousa, a pioneira

20 janeiro 2023 9:52

José Luís Porfírio

José Luís Porfírio

texto

Jornalista

Teresa Sousa (1928-1962): uma obra breve, mas variada, interrompida brutalmente poucos dias depois do nascimento do segundo filho

duarte belo

Pioneira da gravura moderna em Portugal, Teresa Sousa demonstrou o querer necessário para dominar uma técnica que lhe era alheia. 60 anos depois da sua morte, uma exposição na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, recorda a sua breve mas importante obra

20 janeiro 2023 9:52

José Luís Porfírio

José Luís Porfírio

texto

Jornalista

Fui ontem à gravura pela primeira vez. Foi o mesmo que querer escrever e não saber pegar na caneta...”, mesmo na entrada da exposição este fragmento de uma carta que Teresa Sousa (1928-1962) escreve em novembro de 1955, é a melhor introdução possível, pois permite-nos avaliar a medida da rapidez e da qualidade de adaptação desta jovem pintora a uma técnica artística que a escola de Belas Artes lisboeta não privilegiava. Escrita a partir de Paris, onde iniciava breves estudos de gravura no Atelier 17 de Stanley Hayter, a carta coloca-nos com rara franqueza perante as dificuldades que sentiu. O resto da exposição é a prova real da superação rápida de tais dificuldades, o que leva a jovem artista, apenas dois anos depois, a ser prémio de gravura da I Exposição de Artes Plásticas da Fundação Gulbenkian.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.