Cinema

O bom génio de George Miller: “Os grandes problemas da vida estão encapsulados nesta história”

8 setembro 2022 10:24

Francisco Ferreira

Francisco Ferreira

enviado a Cannes

George Miller, ao centro, dirige Tilda Swinton e Idris Elba

elise lockwood

O filme “Três Mil Anos de Desejo” é um melting pot de tempos e culturas, fantasia contemporânea que remete para o mito da lâmpada mágica e dos três desejos. A nova longa-metragem do realizador de “Mad Max”, que o Expresso ouviu em Cannes, chega esta quinta-feira às salas de cinemas

8 setembro 2022 10:24

Francisco Ferreira

Francisco Ferreira

enviado a Cannes

Para o autor da saga “Mad Max” e do seu anunciado desenvolvimento (“Furiosa”, uma prequela de “Fury Road”, com data de estreia prevista para 2024), “Três Mil Anos de Desejo”, em toda a sua estranheza, é quase uma peça de câmara, projeto singular e sem espalhafato, muito pessoal, a milhas de distância do que geralmente a audiência entende por blockbuster. O cineasta australiano leu há mais de 20 anos “The Djinn in the Nightingale’s Eye”, da britânica A. S. Byatt (Antonia Susan Drabble), um conto fantástico. E nunca mais o esqueceu.