Culturas

Uma exposição sobre a obra de Pedro Costa, o universal

31 dezembro 2022 12:18

Catarina Brites Soares

“Canción de Pedro Costa”, exposição que aborda a obra do cineasta português em Barcelona, vai de seguida para a Corunha. Ainda em Espanha, haverá uma retrospetiva e um seminário. Mas, em clima de homenagem, o autor confessa-se desiludido com o cinema e com Portugal

31 dezembro 2022 12:18

Catarina Brites Soares

No meio artístico — e não apenas no cinematográfico — é um nome incontornável. “Poucos cineastas se implicam tanto nas suas convicções e no seu ofício como o português Pedro Costa. Comprometido com os mais desfavorecidos, o seu cinema mostra a realidade mais oculta, resultado do capitalismo mais desenfreado”, lê-se no texto que apresenta uma retrospetiva da obra que terá lugar na Filmoteca da Catalunha, em Barcelona. Pedro Costa procura o tempo que diz que o cinema perdeu. É um mestre da luz e usa-a para visibilizar o que importa: rostos e vozes obliterados. O seu cinema fala de gente real e confronta-nos com quem e com o que não queremos ver. E por isso é celebrado.

Em Espanha está novamente em destaque com uma retrospetiva (a partir de 17 de janeiro) e seminário (13 a 17 de janeiro) na Filmoteca da Catalunha e com a exposição no Centro de Imagem La Virreina “Canción de Pedro Costa” (que abriu a 22 de outubro e está patente até 23 de abril). De Barcelona, a mostra partirá em outubro para a Fundación Luís Seoane, na Corunha, depois de meio ano num espaço pensado ao milímetro.