Revista de imprensa

Quase 400 julgamentos foram adiados por falta de transporte para presos

Quase 400 julgamentos foram adiados por falta de transporte para presos

Guardas prisionais estão em greve pelo menos até ao fim do ano. Julgamentos foram adiados em 15 das 21 comarcas do país

Entre setembro e outubro de 2021, foram adiados centenas de julgamentos de norte a sul do país por falta de transporte para presos. Segundo o “Jornal de Notícias", entre 1 de setembro e 21 de outubro foram adiadas 392 audiências.

Um dos principais motivos para não ter sido assegurado o transporte de presos ao tribunal foi a greve dos guardas prisionais, ainda em curso. Esta greve deverá permanecer até ao final do ano. As diligências classificadas como urgentes e como inadiáveis têm sido realizadas por videoconferência. Esta tem sido a medida adotada pelos juízes para mitigar os efeitos do protesto.

Os julgamentos foram adiados em 15 das 21 divisões do país. As comarcas a registar mais adiamentos foram as de Lisboa (80), Aveiro (61), Leiria (40), Porto (37) e Braga (33). As restantes tiveram menos de 30 julgamentos adiados. Na comarca da Guarda e de Portalegre não foram registados reagendamentos. É de realçar, no entanto, que na comarca de Faro os adiamentos não estão quantificados e que os líderes das comarcas de Porto Este, Lisboa Norte e Beja não responderam.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas