Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Bancos digitais têm mais de 150 mil clientes em Portugal

D.R.

Devido aos aumentos sucessivos nas comissões bancárias, muitos portugueses podem estar a mudar a suas poupanças (e salários) para o universo digital

Com as comissões bancárias a aumentar nas instituições tradicionais, muitos portugueses podem estar a fugir para o universo digital, onde as taxas são significativamente mais reduzidas. De acordo com o “Jornal de Negócios” esta segunda-feira, já são mais de 150 mil os cidadãos nacionais que todos os dias recorrem aos bancos digitais.

“Temos cerca de 100 mil clientes em Portugal, com cerca de 300 a 400 novos utilizadores por dia e temos cerca de 25 mil utilizadores mensais ativos”, disse fonte da Revolut ao matutino. Por sua vez, a Lydia conta com 50 mil utilizadores ativos no país.

Para Filipe Garcia, economista do IMF, há três fatores que justificam esta adesão crescente dos portugueses aos bancos digitais: “Simplicidade, funcionalidades e baixo custo.” “Há depois um ângulo mais subjetivo que tem a ver com o querer usar sistemas novos e mais sofisticados, diferentes da norma, fora dos ‘players’ tradicionais, mas essencialmente tem a ver com as funcionalidades e com o facto de serem gratuitos em quase tudo”, explica o economista.

A Revolut oferece aos seus clientes uma conta que pode ser aberta em alguns minutos e a partir da qual podem fazer transferências internacionais gratuitas, trocar dinheiro em 24 moedas e gastar dinheiro, sem pagar comissões, em cerca de 150 países.

Já na Lydia, os portugueses têm acesso a um serviço de pagamentos “instantâneos e gratuitos” a outras pessoas.