Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

PS e PSD chegam a acordo para reforço da paridade nos órgãos de poder

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Além do acordo ao nível da paridade, PS e PSD deixaram cair uma das normas mais polémicas do diploma: a obrigatoriedade da alternância entre homem e mulher nos dois primeiros lugares das listas

PS e PSD já chegaram a um acordo para exigir mais equilíbrio na representação entre homens e mulheres nos órgãos de poder, avança o “Diário de Notícias” esta quinta-feira. Os dois partidos pretendem elevar o mínimo de paridade de 33,3% para 40%. Diploma irá avançar para votação em plenário. Passará a existir “a representação mínima de 40% de cada um dos sexos, arredondado, sempre que necessário, para a unidade mais próxima”, indica o texto de substituição aprovado.

Além do acordo ao nível da paridade, PS e PSD deixaram cair uma das normas mais polémicas do diploma: a obrigatoriedade da alternância entre homem e mulher nos dois primeiros lugares das listas.

Segundo o matutino, para cumprimento dessa meta, “os dois primeiros lugares das listas apresentadas devem preferencialmente ser ocupados por candidatos de sexos diferentes, não obstante não poderem ser colocados mais de dois candidatos do mesmo sexo, consecutivamente, na ordenação dos restantes lugares da lista”, lê-se no diploma em causa.