Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Receita do IMT em Lisboa cresceu 256,6% nos últimos cinco anos

TIAGO MIRANDA

Em 2017, a receita total do IMT – imposto suportado por quem adquire um imóvel e reverte inteiramente para os cofres das autarquias – atingiu os 853,4 milhões de euros

Se ainda existissem dúvidas que o sector imobiliário em Portugal está em ebulição, vejam-se os registos dos últimos cinco anos do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e o caso particular de Lisboa. Em 2012, o município lucrava anualmente cerca de 62 milhões de euros por ano com o IMT; já no ano passado, foram 224,5 milhões de euros que entraram nos cofres, ou seja, deu-se um aumento de 256,6% da receita no espaço de cinco anos, revela o “Jornal de Negócios” esta quarta-feira.

Em 2017, a receita total do IMT – imposto suportado por quem adquire um imóvel e reverte inteiramente para os cofres das autarquias – atingiu os 853,4 milhões de euros.

Todos os grandes municípios ao nível nacional mostram a mesma tendência de aumento de procura no sector imobiliário. Se Lisboa lucrou 224 milhões, Cascais acumulou 66,8, o Porto 44,3 e Loulé 36,9, por exemplo.

Estes números constam do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses referente a 2017, um trabalho realizado por especialistas da Universidade do Minho e do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.