Presidente

Dia de Portugal vai ser comemorado no Peso da Régua e na África do Sul

21 janeiro 2023 16:06

homem gouveia / lusa

A Presidência da República justificou a escolha de Peso da Régua com o facto de a cidade ter sido a promotora da iniciativa que levou à consagração do Douro como património da Humanidade. Quanto à África do Sul, tinha sido escolhida em 2020, mas as cerimónias foram canceladas devido à pandemia de covid-19

21 janeiro 2023 16:06

As comemorações do Dia de Portugal decorrerão este ano em Peso da Régua (cidade da região de Vila Real) e na África do Sul, anunciou, este sábado, a Presidência da República, que designou João Nicolau de Almeida, “um dos grandes enólogos do Douro” como presidente da comissão organizadora.

A Presidência justifica a escolha do Peso da Régua como sede das comemorações referindo que o “Douro, património da Humanidade, foi designado como Capital Europeia do Vinho em 2023”.

“A cidade foi a promotora desta iniciativa de âmbito regional, que integra os 19 municípios da CIM Douro, que preveem numerosas iniciativas de promoção da região ao longo do ano”, lê-se na nota.

Satisfação local

A escolha do Peso da Régua já mereceu elogios por parte da autarquia. “É com enorme satisfação que verificamos este reconhecimento do senhor Presidente da Republica. É um reconhecimento que ele, acima de tudo, faz aos produtores da região e a todos aqueles que, ao longo dos anos, construíram e mantêm esta região que é Património Mundial da Humanidade ”, afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara, José Manuel Gonçalves.

O autarca considera que se trata também de uma distinção ao Douro e ao vinho, um produto estratégico para a economia da região e do país. “Só temos a agradecer ao senhor Presidente da República”, salientou José Manuel Gonçalves. Será “mais um momento importante que irá catapultar a afirmação da região pelo mundo inteiro”.

África do Sul não ficou esquecida

Quando assumiu a chefia do Estado, em 2016, Marcelo Rebelo de Sousa lançou, em articulação com o primeiro-ministro, António Costa, e com a participação de ambos, um modelo inédito de duplas comemorações do 10 de Junho, primeiro em Portugal e depois junto de comunidades portuguesas no estrangeiro.

Este ano, as comemorações do 10 de Junho irão decorrer também na África do Sul. Este país tinha já sido escolhido em 2020, em conjunto com a Madeira, mas Marcelo Rebelo de Sousa decidiu cancelá-las devido à evolução da pandemia de covid-19. Optou antes por assinalar a data com uma “cerimónia simbólica” no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.