Política

Lisboa: Moedas passa pelouro da Mobilidade para o vice-presidente, Educação também muda de mãos

27 dezembro 2022 19:23

É o segundo pelouro de grande dimensão que é ‘desviado’ para o vice-presidente da Câmara, Anacoreta Correia. Despacho de Moedas admite que há “matérias que carecem de melhoria”

27 dezembro 2022 19:23

Ao fim de pouco mais de um ano de mandato, Carlos Moedas volta a mexer nas competências da equipa de vereadores da coligação PSD/CDS que governa a Câmara de Lisboa. E volta também a dar uma pasta de grande dimensão ao vice-presidente, Anacoreta Correia: primeiro a Jornada Mundial da Juventude, agora a mobilidade na capital. Também o pelouro da Educação passa entre mãos do CDS, das de Diogo Moura para as de Sofia Ataíde, recém-entrada após a renúncia de Laurinda Alves.

A notícia foi avançada pelo Observador e é confirmada no Boletim Municipal publicado pela autarquia esta tarde. Assinado por Moedas, o despacho que consta do boletim explica que a entrada de Sofia Ataíde, no final de outubro, obriga a “introduzir alguns ajustamentos às competências delegadas e subdelegadas” nos vereadores. Mas mais do que isso, o presidente da Câmara de Lisboa assume que há “matérias que carecem de melhoria, com o objetivo melhorar a gestão da Autarquia e dos Serviços Municipais, especialmente ajustado à distribuição de pelouros”.

A mobilidade é uma das pastas de maior dimensão em Lisboa, e também onde a clivagem no executivo é mais forte, seja a propósito de ciclovias, do trânsito na cidade ou do fecho de determinadas artérias, como aconteceu há meses com a proposta de encerrar a Avenida da Liberdade aos domingos.

Anacoreta Correia passa a ser assim o responsável por “elaborar, propor e executar programas e projetos sobre mobilidade, mobilidade sustentável, mobilidade flexível e mobilidade elétrica”, desenvolvendo também o “Plano de Rede Ciclável”. Ângelo Correia perde um pelouro, mas continua a acumular os restantes: Desporto, Segurança, Proteção Civil, Socorro e Higiene Urbana.

No verão, Moedas passou o pelouro da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), na altura com Laurinda Alves, para o mesmo Anacoreta Correia, na primeira mexida do executivo PSD/CDS. Ao Expresso, o vice garantiu mais tarde que o trabalho de Laurinda Alves foi “extraordinário”, mas que a JMJ “tem várias concretizações de pendor orçamental, logístico e contratual muito forte, que vão muito para além da organização do evento”, e que levaram à troca.

Entretanto, Laurinda Alves deixou mesmo o executivo, substituída pelo nome seguinte indicado pelo CDS na lista da coligação “Novos Tempos”. Sofia Ataíde herdou as pastas de Laurinda, a que se junta agora a da Educação, que sai da tutela de Diogo Moura, outro dos vereadores do CDS. Moura, que foi deputado municipal antes de chegar ao executivo, continua com os pelouros da Cultura, Economia e Inovação, Orçamento Participativo e relação com as juntas de freguesia.