Política

Ventura desafia Montenegro para revisão constitucional e propõe diminuir fatura da luz na proporção de “lucros perversos”

12 setembro 2022 21:32

rui minderico/lusa

O líder do Chega espera que Montenegro não faça como Rio e “venha a jogo, nem que seja para criticar”. Quanto à proposta para a energia, garante que “não há aqui um imposto”, antes “um bom exemplo [alemão] para evitar que o dinheiro se perca algures”

12 setembro 2022 21:32

“Caro Luís... nós tratamo-nos por Luís e André... eu estou há três anos a visitar todos os distritos do país.” No discurso de encerramento das segundas jornadas parlamentares do Chega, o presidente do partido gracejou com o périplo do líder do PSD, Luís Montenegro, que esta segunda-feira começou em Viseu a cumprir a promessa de passar uma semana por mês em cada distrito do país. “Um abraço para o Luís”, rematou André Ventura, acrescentando que o Chega irá mesmo avançar com o seu projeto de revisão constitucional, “ao contrário do que está o PSD para fazer há um ano ou mais”. As ideias do Chega foram “enriquecidas” com a presença horas antes de figuras sociais-democratas como o constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia e o ex-ministro Rui Gomes da Silva, garantiu Ventura. “Vamos ter de fazer alterações, melhorias e aditamentos”, concedeu, sinalizando depois, em declarações aos jornalistas, que “o esqueleto da proposta está nos princípios” apresentados, mas que não abrirá mão de bandeiras como a prisão perpétua ou a castração química por serem “a identidade do projeto” do partido.