Exclusivo

Política

Acabar com ciclovia da Almirante Reis? “Reajustámos a estratégia. Não valia a pena”, diz Carlos Moedas

O presidente da Câmara de Lisboa justifica o recuo em relação à ciclovia mais polémica da cidade com a necessidade de baixar a polarização, “que é negativa para os lisboetas”. Por agora, a ciclovia fica como está, até que a Almirante Reis seja reperfilada. Moedas recusa que isso seja trair o eleitorado

A ciclovia da Almirante Reis começou por ser “para acabar”, passou para uma versão em que ocupava apenas um dos lados e acaba exatamente como estava quando Moedas foi eleito. O presidente da câmara diz que se criou “uma polarização que não faz sentido nenhum” e que, por isso, não tem problemas em “reajustar a estratégia”. Ou seja, deixar tudo na mesma até conseguir “reperfilar” a avenida.

Numa longa entrevista ao Expresso, a publicar na edição impressa desta sexta-feira, Carlos Moedas fala sobre mobilidade, habitação, aeroporto, descentralização e sobre o seu PSD. Aqui se publica um excerto, exclusivamente sobre um dos temas que ocupou mais horas de debate em Lisboa desde que Moedas foi eleito.

Campanha Black Friday

Assine já por apenas 0,50€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler
+ Vídeo
+ Vistas