Política

Nova sondagem para as presidenciais. Marcelo e Ventura sobem, Ana Gomes e Marisa Matias em queda

22 dezembro 2020 8:33

manuel de almeida/lusa

Marcelo Rebelo de Sousa reforça a hipótese de vitória logo na primeira volta e candidatas da esquerda perdem terreno nas intenções de voto para as eleições de 24 de janeiro

22 dezembro 2020 8:33

A cerca de um mês para a próximas eleições presidenciais, a nova sondagem da Intercampus feita para o "Correio da Manhã" e para o "Jornal de Negócios" dá conta de uma subida da direita e de uma queda da esquerda. Marcelo Rebelo de Sousa subiu dois pontos percentuais nas intenções de voto, conseguindo um total de 58,4%. Este valor está, ainda assim, distante dos 70% de Mário Soares na reeleição de 1991.

Em segundo lugar, e muito longe de Marcelo Rebelo de Sousa, surge Ana Gomes, que perdeu terreno nesta sondagem de dezembro. A ex-eurodeputada socialista recua quatro pontos percentuais e não vai além dos 12,1%. Mesmo atrás de Ana Gomes está André Ventura com 10,9% das intenções de voto, uma subida que o coloca cada vez mais perto do segundo lugar. O líder do Chega admitiu, aliás, demitir-se caso tenha menos votos do que Ana Gomes no dia 24 de janeiro.

A par de Ana Gomes, Marisa Matias cai mais de quatro pontos e consegue apenas 4,5% das intenções de voto. Na tabela, a candidata pelo Bloco de Esquerda não está longe dos candidatos do PCP e da Iniciativa Liberal: João Ferreira surge com 3,3% das intenções de voto e, logo atrás, Tiago Mayan Gonçalves chega aos 3,2%.

Como adiantou o "Jornal de Negócios", esta sondagem foi feita depois de várias entrevistas aos candidatos presidenciais, podendo as intenções de voto refletir as posições assumidas nas mesmas entrevistas. Por exemplo, Ana Gomes referiu que, caso seja eleita, pedirá uma reapreciação à legalidade do Chega.