Política

António Costa: existem “excelentes condições” para um acordo à esquerda para a legislatura

31 agosto 2020 12:20

tiago miranda

Depois de ter dito ao Expresso que se não houvesse acordo à esquerda não seria possível aprovar o Orçamento do Estado e evitar uma crise política, o que foi interpretado como sendo um ultimato à esquerda, o líder socialista veio assegurar que existem condições para renovar a 'geringonça'.

31 agosto 2020 12:20

António Costa garante que existem “excelentes condições” para chegar a um acordo de “legislatura” entre os socialistas e os antigos parceiros de 'geringonça' e assim assegurar a aprovação do Orçamento do Estado de 2021.

À chegada ao Convento de São Francisco, em Coimbra, onde esta segunda-feira decorrer a Conferencia Nacional do PS, o líder socialista assegurou que recebeu bons sinais das reuniões com Bloco de Esquerda e PAN e, como tal, “tudo indica que isso [o acordo à esquerda] aconteça”.

Recorde-se que, ao contrário de Bloco de Esquerda e PAN, o PCP não aceitou reunir-se com o Governo, alegando motivos de agenda. Qualquer encontro só deverá a acontecer depois da Festa do Avante!, que acontece este fim de semana.

Na entrevista ao Expresso, publicada na edição da revista E este sábado, António Costa foi taxativo: “Se não houver acordo, é simples: não há Orçamento e há uma crise política. Aí estaremos a discutir qual é a data em que o Presidente terá de fazer o inevitável.”

Esta segunda-feira, no entanto, o primeiro-ministro negou aos jornalistas que tivesse feito um qualquer ultimato. “Ninguém fez nenhum ultimato. O que foi dito foi óbvio, que acho que é, aliás, o que todos partilhamos. O país está a enfrentar uma crise muito profunda, do ponto de vista económico e social, e, portanto, a última coisa que precisamos é de uma crise política”, afirmou.

A terminar, o líder socialista pediu ainda empenho a todos os envolvidos nas negociações para que o acordo aconteça e que seja um compromisso “no horizonte da legislatura”.