Siga-nos

Perfil

Expresso

Verdade ou Consequência

Maria José Morgado: “Gosto de criminosos que me deem luta”

Neste terceiro episódio do “Verdade ou Consequência”, a procuradora-geral-adjunta jubilada Maria José Morgado, que tem agora em mãos o processo Operação Lex (que junta a juíza Fátima Galante, o juiz Rui Rangel, e o presidente do Benfica Luís Filipe Vieira) assume que em Portugal “não há uma estratégia nacional contra a corrupção nem vai haver”. Mas defende, no entanto, que “há uma estratégia do MP de controlo dos riscos de corrupção e com resultados positivos”

Bernardo Mendonça

Bernardo Mendonça

Entrevista

Jornalista

Nesta conversa Maria José Morgado chega ainda a fazer uma analogia muito curiosa sobre a corrupção e a melhor forma de agir contra ela: “A corrupção é como uma espécie de gripe, se tivermos o anti-vírus conseguimos controlá-la.” Sobre o facto de continuar a trabalhar, mesmo jubilada, afirma: “Sou como os computadores. Trabalho por defeito. Não é por não desistir, é por não saber fazer mais nada...” E ainda fala do seu gosto pelo exercício físico, “a estiva” - como lhe chama, e que é ao mesmo tempo “um momento mágico, de grande fantasia e de uma felicidade estúpida.” Isto e muito, muito mais, numa conversa com algumas consequências que a levam a trautear Xutos, Da Vinci e... Abba.

Para rever em vídeo aqui no site do Expresso e da SIC Notícias ou para ouvir em podcast no iTunes e Soundcloud.

Um programa de Bernardo Mendonça com imagem SIC Notícias e ilustração de Mário Henriques.

Assinar o Verdade ou Consequência no iTunes: https://apple.co/2DrqjsK
Assinar o Verdade ou Consequência no Soundcloud: https://bit.ly/2GyNK6C
Se usar Android, basta pesquisar Verdade ou Consequência na sua aplicação de podcast