A Beleza das Pequenas Coisas

José Gameiro: “A preguiça é um direito de cada um de nós, o direito de não fazer nada. As melhores ideias aparecem quando estou a preguiçar”

23 abril 2021 12:17

Há mais de 40 anos que o médico psiquiatra ouve os desabafos e angústias dos casais em crise. E nesta conversa deixa claro que, mais do que a infidelidade, o pior veneno para o casal é a crítica destrutiva e sistemática. Sobre a pandemia, assume que se enganou ‘redondamente’ no início e que não esperava que provocasse tanto impacto na saúde mental. E prevê que a crise económica irá piorar largamente o bem-estar psicológico das pessoas. Sobre si, aos 71 anos revela que continua a saber tirar gozo da vida. “Sou um gajo de prazeres. Não consigo viver sem tempo, sem os pequenos prazeres. E sempre que possível, todos os fins de semana eu e um amigo pilotamos um avião e decidimos aonde vamos tomar café no país. O que mais gosto é descolar, sair do chão e andar pelo ar”

23 abril 2021 12:17

Freud dizia que numa qualquer relação íntima ou sexual deitam-se na cama pelo menos seis pessoas. Os dois elementos do casal, mais os respetivos pais e suas expectativas, educações, preconceitos e cultura. Todas as pessoas carregam consigo uma bagagem familiar. Isto mais os fantasmas, tristezas, cicatrizes emocionais que surgem no caminho e que podem pesar uma vida inteira. Até que ponto esses pesos podem perturbar e ditar o fim de uma relação? Naquele que deverá ser o pior ano das nossas vidas, estarão as relações e o amor a enfrentar a sua maior prova de fogo?

O médico psiquiatra José Gameiro, que trabalha há mais de 40 anos com casais em crise, e que é um dos fundadores da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar (SPTF) não tem dúvidas: “Esta pandemia é uma prova de fogo para os casais. Mas não sei se é a maior. Há provas de fogo mais complicadas que duram muito tempo. A prova de fogo da crítica sistemática, a prova de fogo dos conflitos com a família de origem, a prova de fogo provocada por uma relação fora do casal. Mas a pior é a crítica sistemática e corrosiva entre o casal.”

E sobre as relações extra-conjugais chega mesmo a dizer: “Cerca de 30% a 40% dos casais que acompanhei até hoje procurou ajuda por crises de infidelidade. A recuperação demora, é dura, mas muitas vezes sai dali um casal novo. Uma infidelidade pode resultar na melhoria substancial de um casal. O que não quer dizer que seja preciso infidelidade para melhorar o casal."

josé fernandes

Sobre este ano de pandemia o psiquiatra assume que, apesar dos cuidados, viveu em conflito com as medidas de confinamento e a autoridade policial, e que chegou a arriscar. “Às tantas já estava farto de confinamento e já sabia onde é que se bebia café clandestinamente. Um café na clandestinidade, no sul, chamava-se um ‘bitoque’. No norte era ‘uma alheira’."

José Gameiro fala ainda da alegria que tem em pilotar e viajar, e de uma certa vocação inata para tirar o melhor partido da vida e dos prazeres. E neste episódio em podcast revela ainda algumas das músicas que o acompanham e lê um excerto de um livro de Vergílio Ferreira.

josé fernandes

Mais uma vez a sonoplastia é do João Luís Amorim, a fotografia é do José Fernandes, e o genérico é como sabem uma criação original do músico Luís Severo.

Subscrevam este podcast, ativem as notificações, partilhem-no com as pessoas que vos rodeiam e enviem as vossas opiniões, sugestões, histórias e comentários para o seguinte email: abelezadaspequenascoisas@impresa.pt.

Até para a semana, pratiquem a empatia e boas conversas!