Orçamento do Estado 2022

Governo revê inflação em alta: espera 3,7% este ano

13 abril 2022 15:49

O Ministério das Finanças voltou a rever em alta a sua projeção para a inflação média anual em Portugal este ano. Valor na proposta do Orçamento fica 0,8 pontos percentuais acima do avançado há pouco mais de duas semanas

13 abril 2022 15:49

No espaço de pouco mais de duas semanas, o Governo subiu em 0,8 pontos percentuais a sua projeção para a inflação média anual em Portugal este ano. A proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), apresentada esta quarta-feira pelo ministro das Finanças, Fernando Medina, aponta para 3,7% tendo como referência o Índice de Preços no Consumidor (IPC). No Programa de Estabilidade 2022-2026, entregue no final de março ainda pela anterior equipa das Finanças, liderada por João Leão, esse valor era de 2,9%.

Mais ainda, em outubro do ano passado, na proposta inicial do orçamento para 2022, que foi chumbada no Parlamento, o cenário traçado pelo Executivo era de uma inflação de 0,9% em 2022, usando como referência o IPC.

Caso o indicador usado para medir a inflação seja o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) - a referência na zona euro - a projeção do Governo para a média anual este ano é de 4%. Este valor compara com os 3,3% inscritos no Programa de Estabilidade e com os 0,9% previstos na proposta inicial do orçamento para este ano.

Recorde-se que esta projeção de 4% fica em linha com o valor antecipado pelo Banco de Portugal para a variação média anual do IHPC. Contudo, o banco central admite, num cenário adverso com maior impacto da guerra na Ucrânia, que esse valor possa chegar aos 5,9% este ano.

"Em termos de inflação, prevê-se uma aceleração, de 1,3% em 2021 para 3,7% em 2022, no caso do Índice de Preços no Consumidor, e de 0,9% para 4% no caso do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor. Estas estimativas têm subjacentes níveis de inflação mais altos durante o primeiro semestre, desacelerando no segundo semestre de 2022", lê-se na proposta do OE2022.

No documento, o MInistério das Finanças destaca que "esta inflação é vista como transitória, em linha com as projeções do banco de Portugal e as estimativas do BCE para a área do euro". E reforça: "O aumento da inflação em 2022 reflete essencialmente a subida do preço das matérias-primas, em particular as energéticas, e constrangimentos nas cadeias de abastecimento globais. É esperado que estes efeitos se dissipem a partir do final do ano".