26.08.2020 às 9h16

Está Dito

“O que eles gostariam era de fazer uma festa idêntica”

Arménio Carlos, o ex-dirigente da CGTP considera a polémica em torno das comemorações do 1.º de maio e a festa do Avante um aproveitamentos político da direita para condicionar o direito de expressão dos trabalhadores, e argumenta com o facto de ninguém criticar os cerca de 30 mil bilhetes que já foram vendidos para o Grande Prémio do Algarve, de Fórmula 1, em setembro. TSF, 26/08/2020