Exclusivo

Opinião

Augusto Santos Silva, o idiota útil

Augusto Santos Silva é presunçoso. Além da presunção de superioridade moral da esquerda, Santos Silva tem a presunção de pensar que é o Maquiavel da pátria, o espertalhão dos jogos políticos. E o seu jogo é este: usar o Chega para chegar a Belém, recriando-se como o grande resistente contra o novo fascismo. Só que o tiro está a sair pela culatra, o Chega é que está a usar Augusto Santos Silva

Marcelo, Costa, Augusto Santos Silva, eis a nova brigada do reumático sem noção do ridículo, sem noção do estado em que está a deixar o país ao nível da ética republicana e ao nível do bem-estar da população. Daqui a um ano, nos tais 50 anos do 25 de Abril, Marcelo, Costa e Augusto Santos Silva entregarão ao futuro um país em queda livre em todos os indicadores europeus, entregarão um Estado Social incapaz de se reformar apesar de ter ao lado, nos parceiros europeus, as soluções que funcionam. Reformar e europeizar o país continua a ser "neoliberalismo” - é este o novo atraso mental e cultural. Fazer em Portugal uma política pública e social como na Holanda, por exemplo, é "neoliberalismo". Resultado? Os portugueses emigram para esses alegados infernos "neoliberais", seja lá o que isso for.

As minhas filhas vão receber um país que caminha para a cauda da Europa a 27. Eu sou do tempo em que Portugal estava a caminhar para longe da cauda da Europa a 12. É esta a herança de Marcelo, Costa e Augusto Santos Silva. Sobre Marcelo e Costa já não há nada a dizer. Resta Augusto Santos Silva, uma personagem que representa - mais do que Costa - aquela prosápia de esquerda, aquela presunção de superioridade moral, que, aos olhos de 2023, é ainda mais ridícula e deslocada.

E esta soberba está neste momento a criar um problema sério. Devido a esta arrogância, que não consegue controlar, Augusto Santos Silva está a ser o idiota útil da extrema-direita. Até parece que Augusto Santos Silva representa um papel escrito por Ventura, permitindo que o Chega desempenhe o papel de vítima do sistema. Quando cala objetivamente o Chega de várias maneiras, Augusto Santos Silva está a alimentar a criatura. Quando ralha com o Chega como um avô sem paciência, Santos Silva está a fomentar o ódio de que o Chega precisa. E o pior é que isto é propositado.

Augusto Santos Silva é presunçoso. Além da presunção da superioridade moral da esquerda, Santos Silva tem a presunção de pensar que é o Maquiavel da pátria, o espertalhão dos jogos políticos. E o seu jogo é este: usar o Chega para chegar a Belém, recriando-se como o grande resistente contra o novo fascismo. Só que o tiro está a sair pela culatra, o Chega é que está a usar Augusto Santos Silva. Está a comê-lo de cebolada. Basta olhar para as sondagens. Mas a personagem não vai mudar. É demasiado arrogante para isso. Precisa de se olhar ao espelho para dizer, Eu hoje ralhei com a extrema-direita, meti os fachos no sítio! Pois, os fachos estão a caminho dos 15%. Que inteligência, que estratégia! É um Maquiavel, sim, mas é um Maquiavel de vão de escada.

PS: esta crónica vai de férias. Volta em junho.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas