Opinião

O palco

27 janeiro 2023 0:46

O problema não é um Estado laico ir gastar €80 milhões na Jornada do Papa Francisco. É Moedas não ter dito ‘não!’ a um palco de €4 milhões. O Diabo está nos detalhes

27 janeiro 2023 0:46

Não há grande obra pública em Portugal que nos últimos 30 anos tenha escapado a polémicas. O Centro Cultural de Belém (CCB), a Ponte Vasco da Gama, a Expo 98, o Euro 2004 ou a Casa da Música, todas nasceram em controvérsia, embora acabassem, anos depois, vistas como obras exemplares. Em 1991, quando Cavaco Silva sonhou acelerar o CCB para receber a presidência portuguesa da então Comunidade Europeia, o PS arrasou o “projeto faraónico”, que acusava de localização e custos muito duvidosos, e tudo acabou numa comissão de inquérito inconsequente mas ruidosa. Sete anos depois, na Expo 98, uma guerra surda entre o comissário Cardoso e Cunha e o Governo do Partido Socialista sobre constantes derrapagens financeiras fez correr rios de tinta e obrigou a rever o percurso. Mas, num caso ou noutro, o país vivia tempos de vacas gordas, que não garantem a felicidade mas ajudam muito. Nomeadamente, a amaciar o impacto dos milhões supostamente mal gastos e das derrapagens que falam português. Imagine-se quando isto acontece em tempos de vacas magras.