Opinião

Sem nojo nem pudor

12 janeiro 2023 10:02

Os que perdem tempo a falar das mordomias dos políticos não percebem que o desonesto não enriquece no cargo, mas depois. Apesar das habituais transferências da política para as empresas, costuma haver mínimos de pudor. Mas o período de nojo de Rita Marques encurtou de três anos para 38 dias. A lei deveria garantir a exclusão, durante alguns anos, de apoios ou contratação pública a empresas que recrutem ex-governantes dentro do período de nojo

12 janeiro 2023 10:02

O último caso no Governo – à hora a que escrevo – foi a ida de Rita Marques, ex-secretária de Estado do Turismo, para a The Fladgate Partnership, ficando à frente da gestão de várias unidades hoteleiras. Entre elas a WoW (World of Wine), que recebeu benefícios fiscais graças a um despacho da governante, assinado a menos de dez dias das eleições. Neste caso, a secretária de Estado já não está na alçada do Governo e, politicamente, pouco pode ser feito.