Opinião

O capitalismo à “Netflix” não apaga o passado tal como o comunismo?

4 janeiro 2023 15:18

Temos assim uma força à direita (a voragem consumista do capitalismo em busca da novidade) e uma força à esquerda (os cancelamentos e censuras woke) que transformam o streaming num potencial instrumento de destruição da memória: é demasiado fácil esquecer ou extirpar o passado

4 janeiro 2023 15:18

Demos ao meu sogro uma versão BD do “1984”, que eu obviamente li durante a noite da consoada. Quando cheguei à parte em que a novilíngua apaga e/ou reescreve o passado à boa maneira do comunismo para impor uma permanente voragem imposta pela ideologia do presente, eu fiquei a pensar numa coisa: não está o capitalismo do streaming a fazer a mesma coisa?