Opinião

Não iremos à Rússia

Clara Ferreira Alves

Clara Ferreira Alves

Escritora e Jornalista

30 dezembro 2022 0:00

Putin está a destruir o povo e o país a que pertence, tornando-os párias

30 dezembro 2022 0:00

Se a Terra ainda rodasse como dantes, estaria a fazer a mala para visitar a Rússia. Pela primeira vez. Uma confissão embaraçosa para quem andou pelo mundo e nunca pôs um pé em Moscovo ou São Petersburgo. Para quem aprecia o calor e o deserto, o ar gelado a golpear a cara não é uma qualidade da natureza. Todas as vezes que estive para viajar para a Rússia desisti, trocando o país por risonhas paragens. Nunca tive empatia com o regime soviético, pelo contrário, e no regime pós-soviético sempre considerei Vladimir Putin excessivamente perigoso para lhe tolerarmos os caprichos e aceitarmos o dinheiro. Em Londres, o dinheiro russo era conspícuo e arrogante. Reparar-se-ia que um partido político, o Conservador, estendia a mão e nomeava um russo com fama de ser um agente russo para a Câmara dos Lordes enquanto sonegava as conclusões do relatório sobre os crimes por envenenamento com polónio e novichok de dissidentes russos no Reino Unido. O aviso à navegação passou despercebido em nome da ganância.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.