Opinião

Entomologia

9 dezembro 2022 0:54

Se não reaprendermos a viver sem tanta luz e se não reaprendermos a viver na escuridão da noite, parece-me impossível completarmos estadupla tarefa: salvar o planeta e salvar a nossa saúde mental

9 dezembro 2022 0:54

Vivo num contexto familiar marcado pela perturbação do espectro do autismo. Nesse quadro, desenvolvi uma hipersensibilidade sensorial, ou seja, os meus sentidos são objetivamente mais apurados do que os vossos, tenho a aversão à luz do Drácula e o ouvido de tísico do Super-Homem. Mas julgo que não precisam de hipersensibilidade à X-Men para concordarem comigo num ponto: estamos rodeados por uma constante poluição sonora e visual, há demasiado ruído e luz artificial. E esta overdose sensorial tem efeitos drásticos na saúde física e mental. Neurologicamente, nós não estamos preparados para tanta atroada e para tanta luz. Mesmo no silêncio e no escuro da noite, os aparelhos que temos em casa emitam um zumbido e uma luz permanente mesmo quando estão desligados. Procurar uma divisão silenciosa e completamente escura em casa é hoje em dia um desafio que deixaria intrigados os nossos antepassados.